quarta-feira, 4 de abril de 2018

TÁ PHODA SER GAMER





Manas,eu sempre gostei de games que pode ser no PC ou o meu XBOX.
desde criança gosto de jogar games de aventura e de ação
e o jogo que me marcou muito na Infancia é o Tomb Raider e eu gosto ate hoje e eu tenho alguns jogos desta serie e sabia que eu estou quase finalizando e zerando o Rise of Tomb Raider o ultimo da serie.
a personagem Lara Croft é uma guerreira mesmo e feminista porque ela sempre lutando como uma mulher.

Eu também estou jogando o GTA,Watch Dogs e Farcry  e eu ja zerei o GTA 5.
Eu sou uma excelente Gamer porque durante feriadao na semana santa eu estava jogando os games do meu Xbox e aos poucos eu estou sendo a ´´mitadora´´ dos games.

Eu poderia fazer os game plays no you tube mas sempre tem o machismo em tudo e principalmente no mundo dos game.Eu estava vendo nos grupos do facebook feministas que tem casos das mulheres que sao excelentes gamers mas recebe comentários bostas como:

´´lugar de mulher é na cozinha e nao no LOL´´´
´´eu queria transar com voce´´
´´sua puta´´
´´ eu queria de conhecer melhor´´
´´eu estou apaixonada por voce´´
´´ qual é seu zap?´´


tem machismo e muito assedio no mundo dos games,tem alguns comentários das manas que são ótimas gamers mas, estão sofrendo misógina nos jogos onlines e tem algumas estão usando nicknames com o nome masculino porque se algum moleque fica muito puto quando um nickname da garota e ai envia mensagens  bostas e de assedio.

eu sou gamer
eu gosto de jogar
jogo games de açao,aventura,simulaçao de vida e ate esportes
mas eu nao posso participar no jogo online porque o moleque vem comentar bosta nas caixas de mensagens
eu nao posso postar o gameplay no you tube porque vem comentario bosta de um moleque

apesar que eu nunca joguei no jogo online e nao aguentaria os assedios imorais dos homens enquanto eu estou jogando tranquila.

pra eles as mulheres gamers e nerds sao posers como esse dialogo:

conversa com dois homens gamers:

-voce gosta de jogar video games?
-  gosto
- legal


a conversa com um homem gamer e uma mulher gamer:

-voce gosta de jogar video games?
-gosto
-cite os nomes dos personagens do GTA e  tambem os nomes das todas as armas




eles acham que todas as mulheres nao tem inteligencia e servem para transar e joga fora depois
e isso se chama machismo

e  tambem acham que as personagens femininas dos games sao objetos sexuais quer dizer ´´bater punheta´´  quando joga

como grande exemplo sobre a minha heroina dos games preferida que é Lara Croft

teve uma pagina neoliberal que nao gostaram da imagem atual Lara porque eles preferem ela com peitão ou um corpo de uma atriz porno só para bater punheta

Já são maioria
Segundo dados da Pesquisa Game Brasil 2016, as mulheres já representam 52,6% dos jogadores brasileiros. Um ano antes, eram 47,1%.
Realizada em fevereiro de 2016 pela agência de tecnologia Sioux em parceria com a Blend New Research e a ESPM, o estudo aponta ainda que 34% têm entre 25 e 34 anos, 55% preferem jogos de estratégia e 80% curtem jogar com os filhos.
A crescente participação do público feminino na comunidade gamer já pode ser notada no Brasil Game Show (BGS), a maior feira de jogos eletrônicos da América Latina. "Na última edição, 28% do público eram mulheres", calcula Marcelo Tavares, fundador e CEO da BGS.
Até pouco tempo atrás, elas só iam ao evento para fazer companhia aos maridos, filhos e amigos. Hoje, testam novos títulos, disputam torneios virtuais, etc.
#MyGameMyName

Um relatório Gamer Consumer Insights realizado em 2017 mostra que as mulheres marcam presença do mundo dos games: 83% delas gostam de jogar no computador, 73% preferem o console e a maioria delas, 86%, joga em dispositivos móveis. Ainda assim, elas ainda são alvo de abuso e violência nesses ambientes: segundo um estudo da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, 100% das mulheres que jogam pelo menos 22 horas por semana já sofreram algum tipo de assédio.
Para fugir do abuso, muitas gamers usam nomes masculinos ao participarem de jogos. Esse tipo de violência, no entanto, precisa acabar. Pensando nisso, a ONG norte-americana Wonder Women Tech criou a campanha "My Game My Name", que incentiva as mulheres a não se esconderem, as vítimas a denunciarem o assédio e jogadores homens a não praticarem ou aceitarem a prática.
A organização desafiou alguns youtubers homens a entrarem em games com nomes femininos e sentir na pele a onda de opressão e abuso que as mulheres sofrem.




Nenhum comentário:

Postar um comentário